Descobrindo a tecnologia, desvendando a ciência

Stephen Hawking pede cautela em relação aos robôs

28/07/2015 as 04:04 | Categoria: Tecnologia

Há muito tempo o homem sonha com robôs totalmente autônomos que podem desempenhar diversas funções, inclusive, substituir o trabalho humano. Porém, juntamente com a tecnologia de ponta útil aos homens, outras criações podem ser prejudiciais. Mesmo que atualmente não exista nada de oficial, muitas pessoas ligadas ao mundo tecnológico estão preocupadas com o nosso futuro.

Vários experts em robótica do mundo alertam sobre um assunto específico, ou seja, o uso de armas autônomas. Nomes como Stephen Hawking, Elon Musk e Steve Mozniak pedem o fim de tais armas, alertando sobre os riscos de uma “revolução da inteligência artificial”, que um dia poderá resultar em um grande desastre para a humanidade.

O pedido do grupo foi proferido em uma carta aberta, publicada pelo instituto Future of Life e assinada por centenas de pesquisadores ligados ao assunto, bem como por personalidades da ciência e tecnologia.

Levando em consideração que o mundo está passando por uma grande revolução tecnológica, que envolve carros guiados apenas por computadores, drones com câmeras que invadem a privacidade, entre outros, especialistas mostram insegurança e preocupação para o futuro da humanidade. O cenário atual, para alguns, parece bastante promissor, e claro, sem dúvidas é um grande avanço. O grande problema é a proporção que o assunto irá tomar, e o surgimento de tecnologias avançadas e autônomas que podem ser usadas pelo lado negativo, principalmente na corrida armamentista.

Na carta, as armas autônomas estão definidas como aquelas que “selecionam e engajam alvos sem a intervenção humana”. Com isso, para encontrar os alvos, é necessário outros dispositivos tecnológicos. Conforme a carta, estas armas irão resultar em uma corrida armamentista já que são capazes de encabeçar grandes mudanças no mundo.

“Armas Autônomas são ideais para tarefas como assassinatos, desestabilizar nações, subjugar as populações e matar seletivamente um grupo étnico em particular. Estamos, portanto, a acreditar que uma corrida AI armamentista militar não seria benéfico para a humanidade.”
Noel Sharkey, roboticista que assinou a petição e é membro da Campaign to Stop Killer Robots, os robôs da vida real deverão ser piores que as representações de ficção científica vista no cinema.

Postagens Relacionadas